16 novembro 2016

Aspomires promove homenagem a militares candidatos às eleições municipais 2016

Pensando nas urnas de 2018, a diretoria da instituição planeja organizar os militares capixabas para a conquista de cadeiras no Legislativo estadual e federal e garantir a representatividade que a categoria merece.

Nesta quinta (10), a Aspomires promoveu um Café da Manhã para os militares capixabas que concorreram à última eleição municipal. O encontro, realizado no Cerimonial Aspomires, foi organizado pela Diretoria de Relações Públicas e contou com a participação dos eleitos e não eleitos. O objetivo deste evento foi valorizar os candidatos militares e iniciar o processo de apoio para as eleições de 2018, quando serão definidos o Legislativo e Executivo estadual e federal. Ao todo, no Espírito Santo, os militares conquistaram 21 cadeiras nas Câmaras Municipais, além da Prefeitura de Iúna.

Cerca de 40 candidatos militares eleitos e não eleitos participaram do evento

Candidatos militares eleitos e não eleitos participaram do evento e discutiram novos rumos para a representação política da categoria no estado

Cap Raimundo destacou que a Aspomires reconhece o esforço nesta campanha eleitoral. “Sabemos da dificuldade de se realizar uma campanha. Na corrida pela presidência desta instituição, percorremos todo o Espírito Santo, em busca de pelotões, companhias, batalhões para apresentar nossa proposta de trabalho”, exemplificou o presidente da Aspomires. Além da crise financeira, Cap Raimundo apontou que não é fácil para um policial ou bombeiro militar convencer a população civil. “Infelizmente, por muito tempo, ficou enraizado na cultura do país que o militar era opressor. Hoje, a sociedade está mudando este pensamento. Atualmente, reconhecem que o militar é um dos maiores conhecedores dos problemas sociais. Conhecemos nosso estado de norte a sul, de leste a oeste”, ressaltou.

Cap Raimundo reiterou que a atual gestão da Aspomires não está focada somente em emprestar dinheiro. O pensamento da instituição é valorizar o associado. “Cada militar que concorreu a esta eleição teve coragem, expôs a imagem para ser testada pela população. E, por isto, merece nossos parabéns. Estou muito feliz e honrado em recebê-los neste café da manhã”, agradeceu o presidente. O presidente afirmou ainda que a Aspomires tem um propósito ainda maior para as próximas eleições. “Temos que pensar no futuro. Somos mais de 10 mil militares na ativa do estado, somente na Aspomires, somos mais de sete mil, além dos familiares. Precisamos estar representados na esfera política do estado”, aponta Cap Raimundo.

De acordo com o diretor de Relações Públicas, Cap Victorino, este café da manhã foi o primeiro passo deste projeto. “Assumimos a Aspomires em abril deste ano e trabalhamos, inicialmente, para organizar nossa instituição. Assim, não tivemos como investir na campanha dos colegas de farda neste pleito municipal. No entanto, esta é a primeira de muitas reuniões que teremos em busca de representantes militares no Executivo e Legislativo do nosso estado”, confirma o diretor. O diretor de Patrimônio, Cap Pontes, apontou que, nesta eleição, a Aspomires apoiou as candidaturas com o lançamento do slogan “Militar vota em militar”.

Para o Cap Pontes, este slogan foi fundamental para o sucesso dos militares nas urnas. “Cap Raimundo definiu que todos os diretores deveriam apoiar os candidatos militares e assim fizemos. Pertencer à Aspomires hoje não significa somente ser um sócio, mas sim ser membro de uma família”, afirmou o diretor. E complementou: “Ao me perguntarem sobre quem deveriam apoiar, simplesmente respondia que ‘militar vota em militar’. Esta expressividade de votos foi reconhecida pela Polícia Civil capixaba e até pela PMMG. Os militares capixabas estão acordando, a tropa está informada. Vamos alinhavar esta costura maior para a Câmara Federal e Senado”.

Para o Capitão Antônio Gonçalves Siqueira, vereador eleito em Vila Velha, os militares não tiveram a organização necessária para o sucesso nas urnas municipais. “Quero parabenizar a Aspomires pela iniciativa. Fizemos 21 vereadores militares, sem planejamento, sem apoio. Agora é hora de nos organizarmos. Tenho compromisso com o meu partido, mas precisamos ter compromisso com a família militar”, afirmou o vereador eleito. E sugeriu: “Pedimos que a Aspomires abrace este projeto e encabece esta campanha. Vamos aproveitar este espaço da instituição para, a cada dois meses, realizarmos uma reunião. Temos que definir, pelo menos, dois candidatos à Assembleia do estado e um à Câmara Federal”.

O sargento Joel de Souza Miranda, candidato não eleito à Câmara Municipal de Vila Velha, indicou que este espaço seria fundamental também antes do pleito. “Muitas vezes, em período de campanha, vemos nosso colega de farda como inimigo. Se meu colega de farda está em outro partido, torna-se meu adversário político. Quando estamos no mesmo partido, somos concorrentes. Está errado, temos que pensar como categoria de classe”, apontou Sgt Joel. E complementou: “Estamos muito divididos. Hoje, existem muitas associações, que, ao contrário de nos unir, nos segrega. Concordo com o plebiscito apontado aqui e que a Aspomires cumpra este papel para que prevaleça o interesse coletivo”.

O Sgt Miranda destacou também que, com as novas regras para a campanha eleitoral, o processo ficou ainda mais difícil. “Não se pode mais receber doações financeiras de pessoa jurídica e a mídia também está com o espaço reduzido. Sugiro que a Aspomires produza uma edição especial do informativo para que os associados conheçam os militares que estão concorrendo. Recebo o boletim da instituição em minha casa, assim como todos os outros sócios”, apontou. Para o soldado Olmir Castiglioni, vereador em Colatina, é preciso começar a planejar, pois as próximas eleições estão muito próximas. “Agradeço ao Cap Raimundo por esta integração. Estou no 4º mandato, fui presidente na Câmara de Colatina e representei a categoria. Tenho pregado que, se não nos unirmos, vamos acabar perdendo a única cadeira que conquistamos na Assembleia Legislativa. Enquanto companheiros de farda somos irmãos. Daqui a pouco, 2018 está chegando e precisamos organizar este plebiscito”, ressaltou o vereador.

O diretor de Pessoal, Sgt João, afirmou que sente inveja de estados como São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro que contam com representantes até mesmo no Senado. “Quero chegar ao Congresso Nacional e ver um militar capixaba me representando. Sonho com a polícia militar decidindo seu destino”, apontou. E confirmou o compromisso político-institucional da instituição: “Atualmente, a Aspomires tem voz. Temos um presidente nesta instituição que tem lutado pela categoria. O governador do estado nomeou um médico para julgar os processos no Detran. O Cap Raimundo manifestou-se contra e, com união, o governador cancelou a nomeação e o delegado Contarato assumiu a função. A Aspomires está de porta abertas à família militar”.