1 outubro 2012

Assuma o comando do seu estresse

 

Ninguém vive sem estresse. É isso mesmo. O estresse é uma reação natural do organismo de preparação para enfrentamento de mudanças. Quando alguém está diante de um desafio, como encarar o primeiro dia de emprego, fazer uma prova na escola, cumprir um prazo no trabalho, o corpo entra em estado de alerta para incentivá-lo a buscar medidas capazes de solucionar a situação.

No entanto, o acúmulo prolongado de estresse no organismo pode desequilibrar estas reações de estímulo e resposta tão fundamentais à sobrevivência e ao crescimento humano. A partir daí começam a surgir os problemas como a irritabilidade, a desmotivação e o cansaço até doenças como as úlceras e o infarto. Os especialistas de saúde orientam a pessoa a manter a atenção diante dos agentes estressantes para assumir o controle sobre tudo o que acontece em sua vida, transformando os desafios em conquistas.

De acordo com o mestrando em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o psicólogo Gabriel Waichert Monteiro, o estresse é um processo natural do organismo presente em vários momentos do cotidiano, pois tudo gera mudanças, até mesmo a atitude diária de despertar do sono para levantar da cama, já que o indivíduo sai do estado de inércia para o de movimento.

Do alerta à exaustão – Porém, orienta o profissional, existem três níveis de estresse. No primeiro estágio chamado de estado de alerta, o estresse desperta a pessoa a tomar uma atitude dando-lhe energia e disposição para encarar os problemas ou desafios. Quando o organismo acumula muitas situações de estresse e se acomoda sem reação, o indivíduo começa a apresentar sinais de cansaço, desmotivação, irritabilidade e até aceleração cardíaca. É o estágio da resistência.

Daí por diante, se os agentes estressores continuarem a bombardear o  organismo, impedindo o indivíduo de buscar ou encontrar caminhos para amenizar a pressão sobre o físico, a mente e a alma, o resultado é o estágio da exaustão. Neste terceiro nível, o corpo apresenta problemas físicos como úlceras, dores musculares, alterações de pressão, alergias, acidentes vasculares cerebrais, infartos, além das complicações emocionais, como a depressão.

Cada indivíduo encara o estresse de um modo e pode passar ou não de uma fase para outra de acordo com a genética, a personalidade, o temperamento e a postura diante da existência.

Segundo Gabriel Waichert, especializado em ministrar palestras sobre o assunto para trabalhadores de diferentes empresas, a pressão constante, a sobrecarga de responsabilidades e o ritmo acelerado da vida contemporânea desencadeiam o processo de exaustão do organismo, levando aos efeitos negativos do estresse. “Somos levados a viver numa sociedade que nos cobra mudanças a todo o momento, transformando nossa vida num processo ininterrupto de desafios a ponto do indivíduo não conseguir mais reagir de forma produtiva”, explica o psicólogo.

Você no controle – Assumir o comando do estresse é possível, garante Gabriel Waichert. A primeira medida é tomar consciência desta realidade e se preparar para enfrentar o turbilhão de compromissos, tarefas e até de imprevistos da rotina. “Um jeito de enfrentar o problema é se programar para evitar os estímulos que levam ao acúmulo de estresse. Um ponto importante é saber as causas do transtorno e buscar soluções práticas. Por exemplo, sair mais cedo de casa para evitar ficar preso por muito tempo nos congestionamentos do trânsito é uma forma de diminuir este tipo de aborrecimento diário”, orienta Waichert.

Segundo o psicólogo, cada pessoa pode encontrar um jeito particular de enfrentar o estresse. “Se não tenho como mudar as situações de transtorno, posso descobrir formas de diminuir a pressão sobre o organismo. É preciso estar um passo à frente do estresse”, aconselha Gabriel. Buscar uma atividade de entretenimento, relaxamento ou meditação pode equilibrar as energias de “um dia de cão”. Ler um bom livro, ir ao cinema, ouvir música, brincar com os filhos, passear com a família, fazer uma atividade física, conhecer um lugar novo, sair para dançar ou para um bate-papo descontraído com os amigos e até reservar horas ou um dia de descanso podem renovar e fortalecer o organismo.

Dicas para fazer o estresse trabalhar pra você:

Nunca tome remédios sem a prescrição médica. Automedicar-se não resolve os efeitos do estresse e pode aumentar os riscos de adoecimento e debilitação do corpo e da mente. Procure orientação médica ou psicológica para analisar e tratar seus níveis de estresse;

Não consuma álcool e cigarro. Buscar entorpecentes faz com que os efeitos do estresse voltem com força total e mais nociva. Opte por ter uma vida mais saudável, respeite e cuide do seu organismo;

Não perca o controle das tarefas do dia a dia.  A falta de planejamento das atividades e dos compromissos gera uma sensação de ineficiência, improdutividade e fracasso que podem agravar os sintomas de cansaço e desmotivação. Faça uma programação do dia, respeitando seus limites e adotando estratégias para o cumprimento das tarefas de forma dinâmica, racional e criativa;

Descubra uma atividade física mais sintonizada com você. Exercitar-se ajuda o organismo a liberar substâncias que dão sensação de prazer, alivia os efeitos do estresse e ainda mantém o corpo em boa forma e com disposição. Mas escolha entre as inúmeras atividades físicas aquela que mais tem a ver com você, sem esquecer de observar as orientações médicas;

Mude a dieta. Buscar uma alimentação balanceada composta por água, carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, fibras e minerais previne doenças e ainda prepara o corpo para reagir com mais força aos estímulos em excesso da vida contemporânea.

Descubra seus tesouros escondidos. Se conhecer melhor é a chave da saúde e da realização pessoal. Descubra atividades, habilidades ou talentos novos capazes de lhes dar prazer, satisfação e de promover experiências e conhecimento inovadores. Entrar em um coral, estudar fotografia, aprender a dançar, cultivar um jardim ou atuar como voluntário numa obra social são algumas das infinitas possibilidades de realizar algo por você e até pelas outras pessoas.

Mantenha a mente e o coração tranquilos. Busque uma nova postura diante da tormenta do cotidiano. Não perca a lucidez, a paciência e sensatez frente aos conflitos. Muitos aborrecimentos podem ser resolvidos com pequenas atitudes de serenidade e gentileza, desarmando quem ou o que provoca a agressão.

– Resgate sua ligação com a natureza e o divino. A maior parte das pessoas perdeu o vínculo com sua origem interior, com a natureza e com o cosmos. Valores como o materialismo, o consumismo e o individualismo da vida contemporânea podem provocar um esvaziamento da alma e uma perda dos verdadeiros sentidos da existência humana. Encontre o seu caminho para recuperar e manter seu contato com o divino, aperfeiçoando sua espiritualidade e o entendimento sobre como viver bem e feliz.   

Foto: Fabio Machado