26 dezembro 2012

Calor intenso exige cuidado contra desidratação

O que mais se espera da estação do mar e do sol é céu azul e altas temperaturas. Mas o calor intenso exige cuidado contra a desidratação. Isso acontece quando a quantidade de líquido não é suficiente para manter o funcionamento normal do corpo devido à ingestão reduzida ou a perdas excessivas de água.

A água auxilia no transporte, na absorção de nutrientes e na eliminação de substâncias do organismo. Nos dias mais quentes, a falta de reposição adequada de líquido pode levar à desidratação cujos principais sintomas incluem a boca e língua secas, lábios rachados, letargia (estado de apatia), confusão mental e diminuição da urina. Também pode ocorrer aumento do ritmo cardíaco, pele áspera e com aspecto enrugado e olhos fundos. As pessoas muito desidratadas chegam a sentir-se fracas quando a perda de líquido atinge os músculos. Se chegar ao cérebro, a falta de água pode levar ao coma e até à morte.

Tratamento – A desidratação atinge pessoas em qualquer idade, mas suas consequências são ainda mais graves em crianças e idosos. Se alguém se desidratou um pouco, o melhor a se fazer é ingerir bastante líquido. O ideal é tomar, em média, cerca de dois litros de água por dia. No caso de altas temperaturas, deve-se aumentar esta quantidade. A água também está presente em sucos, refrescos, frutas, legumes e verduras frescos. Entre os alimentos caracterizados como boas fontes hidratantes estão a melancia, o abacaxi, o penino, a cenoura, o morango, a framboesa, o tomate, o pêssego e as folhas verdes.

No entanto, se a desidratação ocasionou diarreia e/ou vômito, torna-se necessária a ingestão de soro. A versão caseira pode ser preparada da seguinte forma: misture bem um litro de água filtrada, 40 gramas de açúcar e 3,5 gramas de sal de cozinha. A pessoa desidratada pode tomar o soro à vontade, a cada 20 minutos, ou depois da ocorrência de vômito ou diarreia.

Porém, a principal atitude diante de perdas graves de água no organismo é sempre buscar a orientação médica. Ainda mais porque a desidratação pode ser o sinal de um processo ainda maior de desajuste do organismo. Os casos mais sérios exigem a hidratação complexa, que mistura água e sais e outras substâncias, e é aplicada direto na veia, procedimento  feito no atendimento de emergência numa unidade de saúde.

Confira, então, algumas dicas para evitar a desidratação e aproveitar o melhor do verão:

 

– Não se esqueça de ingerir água. Beba pequenas quantidades ao longo de todo o dia;

– Quando o calor foi ainda mais intenso, aumente a ingestão de água;

– Se praticar exercícios, lembre-se de repor o líquido perdido durante a atividade física;

– Procure vestir roupas leves, para facilitar a evaporação da transpiração, e claras porque absorvem menos calor;

– Evite a exposição excessiva ao sol e os horários de maior radiação solar. Use e reponha o filtro solar, sempre que necessário, e não se esqueça do boné ou chapéu, dos óculos e do guarda-sol nos dias de praia;

– Consuma frutas, legumes e verduras frescas;

– Lave bem as mãos antes de preparar os alimentos;

– Lave bem as frutas e vegetais consumidos crus;

– Observe o estado de conservação e a data de validade dos alimentos que podem se deteriorar com mais facilidade nos dias mais quentes.

 

Foto: SXC