18 abril 2016

Capitão Nailson se despede da Aspomires

Confira o discurso de agradecimento e despedida do capitão PM Ref Nailson Pedro Tolentino, eleito presidente da Aspomires por seis mandatos consecutivos. Foram 18 anos no comando da entidade, mais nove anos como tesoureiro, totalizando 27 anos de trabalho dedicado à associação.

 

Senhoritas, Senhores e Senhoras,

 

Sem dúvida alguma, hoje é um dia especial para cada um dos associados que tomam posse na nossa administração da Aspomires.

Mas permitam os senhores de tomar parte desse clima emotivo para lhes falar e a todos os convidados, um pouquinho da minha trajetória.

Em 08 de maio de 1936, nasci em Barracão de Petrópolis, no município de Santa Teresa. Anos depois, meus pais mudaram para Linhares e lá cresci, e aos 18 anos, em janeiro de 1956, vim para Vitória para servir ao Exército Brasileiro.

Dispensado do Serviço Militar, comecei a trabalhar como calceteiro de rua nas proximidades do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, em Maruípe.

Certo dia em contato com um soldado que me viu trabalhando no calçamento, o mesmo me convidou para que eu me inscrevesse na PM e fui fazer o curso de treinamento depois da minha incorporação em 05 de abril de 1956.

Após a conclusão do curso de soldado, fui transferido para trabalhar no Instituto de Readaptação Social do Estado – Vila Velha.

Então iniciei meus estudos no primeiro ano de escola no Colégio Vasco Fernandes Coutinho, em Vila Velha, onde fiquei até a primeira série ginasial. Voltando para o Quartel de Maruípe, em outubro de 1957, comecei a trabalhar como faxineiro na Diretoria de Finanças da PM e, na medida em que avançavam meus estudos, passei a trabalhar na confecção da folha de pagamento dos policiais, na parte administrativa.

Em 1960 fui promovido a cabo de fileira. Em 1962, a 3º sargento. Em 1971, 2º sargento. Em 1979, 1º sargento. Em 1981, a subtenente. Em 1982, a segundo tenente. Em 1984, a primeiro tenente e, em 05 de abril de 1986, exatamente aos 30 anos de serviço, fui promovido a capitão. Sendo que todas estas promoções foram pelo princípio do merecimento intelectual.

Em 1958, conheci minha esposa Maria de Lourdes Silva e nos casamos em maio de 1961. E construímos uma bela família e tivemos três filhos.

Ao ser transferido para reserva remunerada em 1986, assumi a função de contador do HPM, lá ficando por mais dois anos.

Em 1988, assumi a contabilidade da Caixa Beneficente da Polícia Militar e lá permaneci por dez anos consecutivos e, ao mesmo tempo, também fui contador da Unimed Vitória por cinco anos.

Concomitantemente ao cargo de contador da Caixa Beneficente e da Unimed, fui tesoureiro da Aspomires por três mandatos consecutivos, em abril de 1989 a abril de 1998.

Em 1998, com a desistência do coronel João Tavares da Silva de não mais concorrer a presidência da Aspomires, coloquei meu nome ao referido cargo, sendo que fui eleito por aclamação em 15 de abril de 1998.

Algumas medidas foram tomadas e com o apoio do Conselho Fiscal consegui a liberação do saldo existente de R$ 150.000,00. Iniciei os primeiros empréstimos com juros de 6% na época para fazer saldo de caixa. Também tivemos que fazer alteração no estatuto e incluir como sócios, os integrantes da ativa da Polícia Militar, Bombeiro Militar e também as viúvas dos militares estaduais.

Com essas medidas aprovadas, a associação teve um novo impulso de crescimento, ao ponto de ter sido necessário a compra de mais de três salas no mesmo edifício Navemar.

Esse crescimento não parou. Em 2001, adquirimos em Bento Ferreira este imóvel com mais dois lotes e, posteriormente, compramos mais dois lotes ao lado direito da nova sede, o qual passou a ser o novo endereço da associação.

Em 2001 criou-se o auxílio pós-morte e oficialmente a estrutura da assistência jurídica gratuita. Em 2010 foi iniciada a grande obra física que hoje agrega a sede administrativa da Aspomires e o Cerimonial.

Hoje nos temos mais de sete mil associados. Deixo a presidência da Aspomires neste dia 15 de abril do ano de 2016 com minha consciência tranquila pelo dever cumprido. Como em 15 de abril de 1998, prometi aos associados que iria fazer da Aspomires uma das melhores associações de prestação de serviços existente no estado do Espírito Santo e também reconhecida pela Federação Nacional de Entidades Militares do Brasil (Feneme).

Em todo estado, hoje tem a presença dos serviços da associação, quer por escritórios de representação, quer por atuação de advogados do serviço jurídico. As grandes questões como precatórios, 11,98% e outras demandas dos associados sempre foram encaradas com seriedade, tanto na instância jurídica do estado como nas instâncias superiores em Brasília. Deixo os serviços essenciais da associação totalmente informatizados, trazendo mais transparência e celeridade à administração.

Como em toda a minha vida, sempre tive a alma de policial militar e com a inteligência e saúde que Deus me proporcionou, pude dar de mim em todos os lugares ligados a corporação a quem devo tudo o que tenho e o que sou, sempre abençoado pela graça de Deus. Foram anos e anos de luta, dedicação e de muitas vitórias.

Neste contexto, não poderia deixar de homenagear a mulher que escolhi como esposa e mãe de meus filhos, Maria de Lourdes Silva Tolentino que faleceu em 27 de agosto de 2008. Na retaguarda, sempre humilde, mas determinada, foi meu suporte, para que eu pudesse me dedicar ao meu trabalho por todas as empresas que passei, trabalhos esses sempre em favor das pessoas humildes e mais necessitadas.

Acometida de doença grave, continuou estando ao meu lado, sempre dedicada aos nossos filhos e, como já dito acima, nos deixou precocemente.

Também em especial agradeço do fundo do meu coração aos meus filhos Adilson, Nailza e Aldineia, que também de uma maneira ou outra me deram todo apoio em toda a minha vida e no meu trabalho.

Não poderia deixar de agradecer também a todos os funcionários que há 18 anos me ajudaram a engrandecer esta entidade com toda dedicação e profissionalismo. Ainda falando em funcionário, permitam-me dizer que os bons funcionários são os que engrandecem qualquer empresa. A empresa que não valoriza seus funcionários não se desenvolve, fica estagnada ou simplesmente desaparece.

Então, diante disto, tenho muito a agradecer a todos os diretores e conselheiros, que também me ajudaram em todos estes anos de trabalho.

Por fim, deixo a presidência da Aspomires com o sentimento de gratidão a Deus, gratidão aos associados que me reconduziram à chefia desta entidade por seis mandatos consecutivos e também por gratidão pelo dever cumprido.

Desejo à nova diretoria sucesso, relembrando que são funções e cargos de honra, mas também de muito sacrifício.

Termino minha fala citando o apóstolo Paulo, em sua Segunda Carta a Timóteo, capítulo 4, versículo 7: “Combati o bom combate, terminei minha carreira, guardei a fé”.

 

Muito obrigado!

 

Capitão PM Ref Nailson Pedro Tolentino