17 abril 2014

Cristãos se preparam para vida nova

 

Nesta semana de feriado prolongado, o cristão se prepara para um dos momentos mais importantes do Cristianismo: o martírio, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. A Semana Santa encerra os 40 dias de penitência, oração e caridade vividos pelos fieis desde a Quarta-Feira de Cinzas (05/03). Do Domingo de Ramos (13/04) até o Domingo de Páscoa (20/04), os cristãos relembram mais uma vez os últimos acontecimentos que levaram à crucificação e, posteriormente, à ressurreição do messias.

O Domingo de Ramos recorda a entrada de Jesus em Jerusalém. Na ocasião, as pessoas cobriram a estrada com folhas de palmeira para saudar a chegada de Cristo. Na noite da Quinta-Feira Santa, Jesus se reuniu com seus doze apóstolos para aquela que se tornaria a Última Ceia. Este dia é considerado o marco da instituição da Eucaristia (relembrada nas missas, representa o sacrifício de Cristo na cruz ao dar seu corpo e sangue para a salvação da humanidade) e do Sacerdócio.

Na Sexta-Feira Santa, Cristo foi condenado, preso, martirizado e morto na cruz. O Sábado simboliza um tempo de espera para a ressurreição, que acontece no terceiro dia após a morte no calvário. Em resumo, o ápice da Semana Santa é o Tríduo Pascoal, que compreende a Quinta-Feira Santa, a Sexta-Feira da Paixão e morte do Senhor e a Vigília Pascal, no sábado à noite.

De acordo com os ensinamentos bíblicos, a Páscoa ganha um sentido de vida nova, de ressurgimento, de transformação e de mudança após o perdão de todos os pecados.  Do hebraico Pessach, Páscoa significa passagem. Antes de Jesus Cristo, a festa era comemorada pelos judeus a partir de um significado diferente, pois lembrava a liberdade conquistada pelo povo hebreu após centenas de anos de escravidão no Egito.