2 julho 2013

Dois de julho é Dia Nacional do Bombeiro

 

Diante de desafios como a constante verticalização das cidades, a intensificação do trânsito nos centros urbanos e nas rodovias e a diversificação das ocorrências, o Corpo de Bombeiros do Espírito Santo comemora nesta terça-feira (02/07) o Dia Nacional do Bombeiro.

A história da data tem origem no dia 02 de julho de 1856, quando o monarca Dom Pedro II assinou o Decreto Imperial nº 1.775 para criar o Serviço de Extinção de Incêndios no Brasil, instituindo o Corpo de Bombeiros Provisório da Corte. No ano de 1954, com o objetivo de comemorar os 98 anos da implantação deste serviço, o presidente Getúlio Vargas definiu o 02 de julho como Dia Nacional do Bombeiro por meio do Decreto Federal nº 35.309. A semana que compreende a data também foi instituída como Semana de Prevenção Contra Incêndio.

No Espírito Santo, o Corpo de Bombeiros completou 100 anos em 2012. O presidente do Estado do Espírito Santo, Marcondes Alves de Souza, no ano de 1912, em atendimento a uma solicitação da sociedade, sancionou a Lei nº 874, de 26 de dezembro, determinando a criação da corporação capixaba. Atualmente são 1.228 militares mais 91 novos alunos-soldados, distribuídos em 14 unidades.

As atribuições da corporação estão descritas nas legislações estadual e federal. De acordo com a Constituição Estadual, compete ao Corpo de Bombeiros a coordenação e execução de ações de defesa civil, prevenção e combate a incêndios, perícias de incêndio e explosões em local de sinistros, busca e salvamento e a elaboração de normas relativas à segurança das pessoas e de seus bens contra incêndios e pânico.  No ano passado, foram registradas 24.788 ocorrências no estado. Nos quatro primeiros meses de 2013, a corporação registrou 7.712.

Em 2012, o principal tipo de ocorrência registrado foi o Atendimento Pré-Hospitalar (APH) que envolve, principalmente, motociclistas em situação de colisão ou choque. De janeiro a dezembro do ano passado foram 13.029 ocorrências de APH. Os demais atendimentos se dividiram da seguinte forma no ano anterior: salvamento (3.931), incêndio urbano (2.887), incêndio em vegetação (1.600), prevenção/vistoria (997), auxílio/diversas assistências (1.899), produtos perigosos (259) e defesa civil (186).

De acordo com informações repassadas pela Assessoria de Comunicação da corporação “um dos maiores desafios do bombeiro é estar constantemente preparado para atender aos mais variados tipos de ocorrências, o que requer de todos um nível de capacitação profissional muito elevado, que, para atingi-lo, demanda muito tempo de exaustivos treinamentos”.

A construção de cidades cada vez mais verticais e a intensificação do trânsito também são apontadas como desafios para atuação do bombeiro na atualidade. Conforme dados enviados pela assessoria, o principal projeto do comando é a valorização do servidor com o investimento em cursos de qualificação, compra de equipamentos de proteção e construção de seis novos quartéis. A instituição também tem investido na aquisição de viaturas modernas e em equipamentos de última geração.

Além disso, o Corpo de Bombeiros busca a integração com os órgãos do sistema de defesa social e com a sociedade. Uma das ações é o Projeto Bombeiro do Futuro, implantado em 2007. Em parceria com as prefeituras, a corporação ministra dentro do programa escolar de tempo integral aulas sobre ordem unida, primeiros socorros, noções da atividade do bombeiro, informática, cidadania, direitos humanos e educação física para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. O objetivo é reforçar e resgatar os valores de cidadania e de civismo e aproximar os jovens do poder público.

Fotos: Assessoria de Comunicação do Corpo de Bombeiros do ES (BM5)