8 dezembro 2012

HPM e associação promovem ações educativas de saúde

 

Cinquenta atendimentos foram realizados durante a visita da equipe do Programa de Educação, Controle e Assistência em Diabetes e do Programa de Prevenção e Controle de Doenças Sexualmente Transmissíveis/AIDS do Hospital da Polícia Militar do Espírito Santo (HPMES) à sede da Aspomires, na terça-feira (04/12).

Das 9 às 12 horas, enfermeiras e técnicas de enfermagem realizaram exames básicos para se detectar alterações na pressão arterial e no nível de glicose no sangue e ainda chamaram a atenção para o risco de doenças. Para completar a ação preventiva, as profissionais de saúde também distribuíram panfletos educativos e camisinhas masculinas e femininas.

Alerta – Associados e funcionários receberam orientações sobre como manter a alimentação balanceada e a prática regular de exercícios físicos. Os participantes tiveram ainda informações sobre a importância de se prevenir doenças como a Hepatite B e C e a AIDS, cujo contágio acontece a partir de relações sexuais desprotegidas e/ou do contato direto com o sangue de pessoas contaminadas.

“Queremos alertar as pessoas para o risco destas doenças que são silenciosas. Muitos indivíduos acham que estão imunes a tais enfermidades, mas não estão. Muitos foram contaminados, porém, não sabem e, por medo, nunca fazem o teste. Se diagnosticado mais cedo, o controle destas doenças é mais fácil e, em alguns casos, o paciente nem chega a adoecer”, orienta a Capitã Luíza Oliveira Coelho Raimundo.

O programa mantém um serviço gratuito de diagnóstico da Hepatite B e C e da AIDS, entre outras doenças sexualmente transmissíveis, e ainda orienta os pacientes para o tratamento. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 12h e das 13 às 17 horas. Mais informações através do telefone 3636-6557.

Qualidade de vida – No decorrer da visita, a major Vânia Hemerly Santos Lorencini orientou individualmente os associados e funcionários sobre como conquistar uma melhor qualidade de vida. Segundo a militar, dentre os hábitos saudáveis estão beber bastante água, cortar a ingestão de sal em excesso e evitar os jejuns prolongados.

“A pessoa também deve procurar um momento de lazer para compensar o estresse do dia a dia. Cada um escolhe a sua atividade preferida, que pode ser pescar, bordar, nadar, andar de bicicleta, ouvir música, ir ao cinema, passear no campo, ler um bom livro ou qualquer outra atividade que lhe faça bem”, orienta a major Vânia.

A ação preventiva realizada através de parceria entre a Aspomires e a Diretoria de Saúde do HPMES ganhou o apoio da pensionista Eremita Duarte Guimarães. “Foi ótima a iniciativa, principalmente, para uma dona de casa que não tem tempo de buscar atendimento”, destacou.

Com um quadro de pressão alta, o 3º sargento aposentado Ivan Gualberto Tenório Santos também recebeu orientações, principalmente, em relação aos cuidados com a ingestão de sal e gordura. “Esta ação educativa é importante não só para mim, mas para todos porque nos ajuda a prevenir doenças”, ressalta o militar aposentado.

Prevenção – Quem também esteve na sede da associação na manhã das atividades de saúde foi o subtenente Antônio César de Souza Machado. Na ocasião, o militar foi orientado a procurar periodicamente o médico para uma avaliação geral do estado de saúde. Ele aproveitou para contar que, quando soube repentinamente que entraria para reserva remunerada, sua vida mudou de forma drástica. Habituado à farda há 30 anos, o militar sempre manteve a assiduidade no trabalho e não se imaginava fora das atividades rotineiras do quartel. O despreparo para viver os anos da aposentadoria trouxe-lhe distúrbios de saúde como a depressão e a hipertensão.

Mas algum tempo depois o militar conseguiu voltar à ativa ao assumir a guarda do quartel da 10ª Companhia Independente, em Iconha. O retorno deu-lhe novo ânimo, mas também o despertou para uma nova consciência. “Na primeira vez, eu não estava preparado para me aposentar de imediato. Foi um impacto muito grande. Tenho que me desprender da farda aos poucos. Agora vou me preparar psicologicamente para retornar para reserva dentro de três anos”, planeja o subtenente que prometeu ainda cuidar melhor da saúde.