13 abril 2013

Lideranças da segurança pública capixaba aprovam administração

 

A solenidade de posse do Conselho Diretor (CD) e do Conselho Deliberativo e Fiscal (CDF) da Aspomires foi marcada pela presença de autoridades da segurança pública capixaba. Em entrevista para o site, o Comandante Geral da Polícia Militar do Espírito Santo, coronel Ronalt Willian de Oliveira, e o Chefe da Polícia Civil, Delegado Joel Lyrio Junior, destacaram a gestão social e estratégica da entidade.

 

Comandante Geral da Polícia Militar do Espírito Santo – Coronel Ronalt Willian de Oliveira

 

Site Aspomires – O que representa a associação para a Polícia Militar?

Comandante Geral da PMES – Primeiramente, gostaria de parabenizar toda a diretoria eleita e o Conselho Deliberativo e Fiscal por mais uma reeleição. Ninguém é reeleito à toa. Se foram reeleitos é porque os trabalhos anteriores foram de grande valia, de grande significado para todos os associados. Eu quero dizer que, neste momento, a Aspomires tem uma expressão muito grande dentro da Polícia Militar, pois temos homens e mulheres que, durante 30 anos, labutam diuturnamente para prestar um serviço de segurança, que não é fácil, para nossa sociedade. E temos uma entidade representativa que faz com que esta pessoa, depois que ultrapassa este muro e vai para a inatividade, não chegue esquecida e tenha todos os seus direitos resguardados, fazendo com que esta pessoa que representou o Estado tenha os seus direitos garantidos e tenha uma posição de destaque dentro da nossa sociedade.

Site Aspomires – Comandante, como a corporação pode ser uma parceira da associação? Como esta integração pode ser ainda maior?

Comandante Geral da PMES – Esta parceria já existe. Hoje não existe carreira solo.  Por englobar todas as associações e devido a sua expressividade, a Aspomires não pode ficar de fora. Então, a gente acredita e confirma que a Aspomires é uma grande parceira e trará benefícios também a todo o nosso público da Polícia Militar.

Site Aspomires – Qual a avaliação que o senhor faz da reeleição do Capitão Nailson?

Comandante Geral da PMES – Faço minhas as palavras do governador em última reunião que nós tivemos: “Não existe instituição, não existe nenhuma empresa que sobreviva hoje no mundo capitalista que nós estamos que não tenha gestão, que não apresente resultados. A reeleição do capitão Nailson é o exemplo de uma gestão que trouxe benefícios para toda a instituição, pra toda a entidade e seus associados, e deu mostras que estes resultados foram eficientes. E os resultados vieram na urna pelo reconhecimento de todos os seus associados.

 

Delegado Joel Lyrio Júnior – Chefe da Polícia Civil do ES

 

Site Aspomires – Delegado, qual a importância da eleição do Capitão Nailson para este novo momento da Aspomires?

Chefe da Polícia Civil – É fundamental porque a gente vê o trabalho que ele está realizando ao longo destes anos todos. E o Planejamento Estratégico, apresentado nesta solenidade, demonstra, primeiro, a confiabilidade na reeleição e na condução deste trabalho à frente de mudanças importantes para os militares. E o outro ponto importante é que nós temos grandes parcerias à vista entre os órgãos de segurança pública: a Polícia Civil, a Polícia Militar e o Bombeiro Militar. Então, isto retrata um momento muito especial que a Polícia Militar e todos os policiais militares estão vivendo. Temos que unir forças para que possamos fazer com que cada vez mais nossos policiais tenham uma boa convivência social e possam ter uma boa assistência ou prestação de serviços. Por isso, nós estamos aqui confiando neste trabalho e prestigiando esta nova diretoria.

Site Aspomires – Quais são os benefícios da interação entre as duas polícias para a sociedade?

Chefe da Polícia Civil – Todos saem ganhando. Nós não podemos de maneira nenhuma trabalhar de forma isolada. Nós fazemos parte do mesmo contexto brasileiro da área de segurança pública. Os nossos desafios são os mesmos e as nossas vitórias serão as mesmas se compartilharmos deste momento. Então, o nosso processo de construção é este: um processo de integração das nossas ações e das nossas atividades. Temos as nossas peculiaridades e especificidades, mas o objetivo é um só: o bem comum. Por isso, entendo que este momento é importantíssimo.

Foto: Fabio Machado