9 março 2016

Mulheres vítimas de violência ganham Patrulha da Família

As mulheres vítimas de violência podem contar com um novo reforço dos agentes de segurança pública para o enfrentamento desta situação. O Governo do Espírito Santo lançou o Projeto “Patrulha da Família” que envolverá policiais militares no atendimento às mulheres nos municípios de Vitória, Serra, Cariacica e Vila Velha. O lançamento aconteceu ontem (08/03), marcando as comemorações do Dia Internacional da Mulher.

As ações buscam contribuir com a maior segurança e o acolhimento de mulheres que possuem medida protetiva. As autoridades policiais das Delegacias Especializadas em Atendimento à Mulher são responsáveis pela solicitação das medidas protetivas ao Poder Judiciário e podem indicar que a mulher vítima de violência comece imediatamente a receber as visitas do “Patrulha da Família”.

Os objetivos são fortalecer e ampliar as ações do Projeto “Visitas Tranquilizadoras às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica” e do Projeto “Homem que é Homem”. Estas visitas são realizadas por militares que atuam no Patrulha da Comunidade e abrangem cerca de 130 bairros da Região da Grande Vitória, além de mais dez municípios do interior do Estado. O novo projeto atenderá aos demais locais da Região Metropolitana que não são atendidos pelas visitas tranquilizadoras.

Implementado pela Polícia Civil, o projeto “Homem que é Homem” incentiva a reflexão e a responsabilização de homens autores de violência doméstica com a finalidade de contribuir para a redução do índice de reincidência de violência contra a mulher. Os autores são convocados a participar de um ciclo de palestras com temas voltados para a desconstrução de ideias sexistas e machistas para estimular formas pacíficas de lidar com os conflitos. Segundo a chefe de Polícia Civil, Gracimeri Gaviorno, nesse primeiro ano, cerca de 56% dos homens envolvidos em ocorrências de violência a mulher se voluntariaram a participar do projeto.

Conforme levantamento divulgado pela assessoria da PMES, o trabalho em conjunto das polícias resultou na redução dos homicídios de mulheres. Em 2016, dados acumulados no primeiro bimestre, apontam diminuição de 68% em relação ao mesmo período de 2015.

De acordo com o comandante-geral da PMES, coronel Marcos Antonio Souza do Nascimento,  a Patrulha da Família será composta por uma policial militar feminina e um masculino. “Com isso, aumentaremos a segurança das mulheres que denunciam situações de violência doméstica e familiar, contribuindo para a garantia do cumprimento às medidas protetivas de urgência”, informou.

Na avaliação do secretário André Garcia, as iniciativas de enfrentamento à violência, principalmente contra as mulheres, têm demonstrado que é possível agir e prevenir ao mesmo tempo. Além disso, ele destacou a importância da capacitação dos policiais que atuam nos projetos. “Nossa perspectiva é de mudança de cenário. Atualmente o número de feminicídios tem diminuído em nosso estado, graças ao trabalho integrado das Polícias Militar e Civil, com policiais capacitados para lidar com esta situação e realizar um atendimento humanizado às vítimas”, ressaltou.

Dados e foto: Diretoria de Comunicação Social da PMES e Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp)