16 novembro 2013

Novembro azul contra câncer de próstata

 

Um toque pela vida, um drible no preconceito. Com este tema, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em parceria com Instituto Lado a Lado pela Vida, quer alertar os homens para a necessidade de fazer o exame preventivo do câncer de próstata. Assim como o mês de outubro foi dedicado à campanha contra o câncer de mama, novembro ficou azul para conscientizar os homens sobre a importância do diagnóstico precoce. Em Vitória, uma caminhada de prevenção contra a doença será realizada no dia 24 de novembro, a partir das 8 horas, na Praia de Camburi.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás do câncer de pele. A organização informa ainda que, no ano de 2012, foram identificados mais de 60 mil novos casos.

O mais alarmante sobre a doença é a busca tardia pelo diagnóstico. Conforme levantamento realizado pela Datafolha, em 2009, os homens ainda têm preconceito em fazer o toque retal. Somente 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame. Encomendada pela SBU, a pesquisa ouviu 1.061 homens com idade entre 40 e 70 anos, de dez capitais brasileiras (Belo Horizonte, Curitiba, Belém, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo).

A próstata e o câncer – A próstata é uma glândula masculina que pesa, em média, de 25 a 30 gramas, assemelha-se a uma castanha e está localizada abaixo da bexiga e na frente do intestino. É responsável pela produção de 1/3 do sêmen. Quando há uma multiplicação anormal das células da próstata, ocorre o câncer. Caso esse descontrole não seja identificado no início, essas células podem se espalhar para outros órgãos. A cura do câncer somente é possível quando o tumor encontra-se restrito ao órgão. Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, maior é a chance de cura e de um tratamento menos agressivo e mutilante.

Faça o exame – Homens acima dos 45 anos devem fazer o exame de próstata, anualmente. Aqueles que têm ocorrência da doença na família devem fazer o exame a partir dos 40 anos. O diagnóstico é feito a partir do toque retal e do exame de sangue para a checagem do PSA (antígeno prostático específico). Se houver suspeita, o paciente deve se submeter à biópsia da próstata. Após o resultado da análise do tecido, o especialista poderá confirmar ou não o diagnóstico. O tratamento depende das caraterísticas e do histórico de cada indivíduo mas, em geral, são utilizadas cirurgias e radioterapias.

O exame anual é importante porque, no começo, o câncer de próstata não costuma apresentar sintomas. A dificuldade de urinar e a necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite são alguns dos primeiros sinais, quando aparecem. Em um estágio mais avançado, o paciente sente dor nos ossos, problemas para urinar e pode chegar a contrair uma infecção generalizada ou uma insuficiência renal.

Além de todo o mês de novembro ser dedicado às ações de alerta e conscientização contra a doença, o Dia Nacional de Combate ao Câncer de Próstata é comemorado em 17 de novembro e o 19 de novembro marca do Dia Internacional do Homem.

 

Assista ao vídeo da campanha:

http://ladoaladopelavida.org.br/videos/mYq4Vm95it4