9 agosto 2013

Tenente-coronel homenageia 4º Batalhão de Vila Velha

 
 

Artigo 

Por Tenente-Coronel Sônia do Carmo Grobério

 

Criado em 21 de janeiro de 1980 pelo Decreto 1383-N, o 4º Batalhão de Polícia Militar foi efetivamente ativado em 05 de Agosto de 1981. Sua área de atuação abrangia os municípios de Vila Velha, Guarapari, Cariacica, Viana, Anchieta, Alfredo Chaves, Domingos Martins e Santa Leopoldina. Esses oito municípios irão representar a “Estrela de Oito Pontas” nas cores azul e rosa da bandeira do Estado do Espírito Santo, que juntamente com a “Imagem do Convento da Penha”, o marco da colonização do Solo Espíritossantense, e a “Pomba Branca”, que representa o Espírito Santo, sobreposta planando sob o “Verde Mar”, numa alusão ao codinome de município “canela-verde”, pelo qual é conhecido, compõem o distintivo do 4º BPM.

Através do Decreto 2710-N de 04 de outubro de 1988, com o processo de reorganização da Polícia Militar, a área de atuação do 4º BPM foi reduzida aos municípios de Vila Velha, Guarapari, Anchieta, Alfredo Chaves, Iconha e Piúma. Em 24 de fevereiro de 1992, através do Decreto 3318-N, o 4º BPM limitou sua atuação ao município de Vila Velha com o objetivo de oferecer maior segurança à população canela-verde.

Dedicação – O 4º BPM é uma Unidade Operacional subordinada ao Comando de Polícia Ostensiva Metropolitano e suas ações, gerenciadas sob o comando da tenente-coronel PM Sonia do Carmo Grobério, são dirigidas a oferecer policiamento ostensivo e preventivo em todos os bairros de nosso município, através do radio-patrulhamento, policiamento ostensivo a pé, policiamento velado, motopatrulhamento, rondas comunitárias e ciclopatrulhamento.

Atualmente, o 4º BPM possui cinco companhias destacadas, um pelotão de comando e serviços e um grupo de apoio operacional, buscando aproximar a administração dos recursos humanos e materiais da Policia Militar com a população.

Desde o início das atividades do batalhão, foram vivenciados muitos fatos interessantes que se encontram registrados na memória dos que serviram na Unidade e dos que os vivenciaram. Vinte e dois comandantes serviram à Unidade e contribuíram, cada um a seu tempo e maneira, para o engrandecimento e reconhecimento dos serviços prestados pelo Batalhão.

E não podemos nos esquecer daqueles policiais, que nesses 32 anos, faleceram no cumprimento de suas missões, na área operacional, nos presídios. Nossa homenagem também aos policiais que contribuíram com inúmeros registros de ocorrências bem sucedidas, como aquelas resultantes do atendimento a parturientes, que deram a luz às crianças em viaturas, e tantas outras ocorrências que culminaram no salvamento de muitas vidas.

Interação – O policiamento comunitário é prioridade do Comando do 4º BPM que sempre atuou de forma integrada. As atividades de policiamento ostensivo seguem as necessidades e anseios da comunidade, que através de suas lideranças e Conselhos de Segurança, participa na elaboração de roteiros de policiamento e de estratégias de redução de criminalidade, numa interação que é fundamento de sua existência.

Além disso, existe uma rede de proteção integrada envolvendo a comunidade, o comércio, os órgãos públicos, a segurança privada e a população de modo geral cuja atuação se baseia no uso de tecnologias modernas e de redes sociais, visando a colaboração de todos para o bem-estar da população e promovendo a segurança pública.

Nesses últimos 32 anos, o contexto social do município mudou vertiginosamente. Empreendimentos imobiliários trouxeram para esta cidade um volume considerável de pessoas de todas as origens e classes sociais. Houve uma expansão urbana repentina, com o surgimento de novos bairros, formados a partir de invasões, de loteamentos irregulares, da construção de conjuntos habitacionais.

A instalação de empresas para suporte às atividades portuárias, indústrias, comércio e serviços trouxe benefícios sociais para o município, mas, com estes, vieram os problemas sociais. Aumento da população ociosa, subemprego, desemprego, cooptação criminosa, furtos, roubos, tráfico de drogas, desagregação familiar e homicídios.

O trabalho do Batalhão é desenvolvido dentro deste contexto social, utilizando os recursos que são colocados à disposição. Os integrantes da Unidade atuam na tentativa de se anteciparem ao fato criminoso, de forma preventiva e proativa.

Visando prestar melhores serviços, ao longo desses anos, o Batalhão se revestiu de roupagem diversa, para atender à dinâmica da sociedade. Dentre as atividades estão a busca pela inovação nos processos de policiamento, investimento em tecnologia, utilização do mapa do crime, videomonitoramento, treinamento contínuo dos policiais, utilização da filosofia do policiamento comunitário, desenvolvimento do Proerd, desenvolvimento de uma rede integrada de proteção.

Conquistas – São 32 anos de muita comemoração! Um dos principais destaques desta história é o balanço positivo conquistado no período de 2010 a 2013, fruto da integração dos trabalhos das Polícias Militar e Civil, da Prefeitura Municipal de Vila Velha, do Judiciário, do Ministério Público, e principalmente da sociedade civil. Foram alcançados índices significativos de redução de homicídios; atualmente estamos com redução de cerca de 12% em relação ao ano passado, uma diminuição iniciada em 2010 e que, ano a ano, vem se consolidando. Os resultados positivos incluem ainda a grande apreensão de drogas e de armas – em média são 30 armas por mês -, além de inúmeras pessoas conduzidas à autoridade judiciária. Outra conquista é o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), responsável por formar, no primeiro semestre de 2013, 1.450 alunos da rede pública e particular.

Para manter a história de bom desempenho do batalhão, trabalhamos na busca pela inovação e o investimento em tecnologia, com a utilização do mapa do crime, o acesso ao banco de dados do Ciodes nas viaturas, o treinamento contínuo dos policiais para o exercício das boas práticas policiais, e a requalificação, ações primordiais para a atividade de segurança pública. De forma permanente, os integrantes do 4º BPM  utilizam a capacidade técnica, a criatividade e a boa gestão, bem como a preservação de seus valores e objetivos, para vislumbrar o futuro da unidade como um exemplo em segurança pública para o Espírito Santo e para o Brasil.

Reconhecimento – Certamente, temos ainda muito a aprender com erros e acertos e com o aproveitamento das experiências alheias. A colaboração em massa, capaz de desencadear o poder do “nós”  (pois o trabalho em equipe é que faz a diferença), valorizada pelo atual programa de governo “Estado Presente”, é condição de nosso progresso nessa área tão complexa e  delicada.

Nossos agradecimentos a todos os precursores das atividades de policiamento do 4º BPM que compuseram e compõem os seus quadros ao longo de sua existência e, a todos os seus familiares, que transformaram a Unidade em referência em proximidade com a comunidade e excelência nos serviços prestados; o nosso reconhecimento de sua valorosa atividade na proteção da sociedade capixaba e, em especial, no fortalecimento da comunidade vilavelhense.

Temos a plena convicção de que o 4º BPM tem cumprido seu papel de guardião da sociedade vilavelhense e realizado a segurança pública no município com responsabilidade social. E assim, só temos a agradecer a todos e, sobretudo, aos atuais Oficiais e Praças do 4º BPM, que muitas vezes, anônimos e sem interesses pessoais, sedimentam e valorizam esta Unidade.

Parabéns à Policia Militar! Parabéns à comunidade Vilavelhense, ao Município e ao Governo do Estado pela passagem do aniversário de 32 anos do 4° BPM, que sempre atuou na proteção das milhares de pessoas que residem e transitam em sua área de circunscrição.

 

*Comandou o 4º Batalhão de Vila Velha de 2010 a 2013