Aspomires debate futuro do HPM com a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa
22 setembro 2016

Aspomires debate futuro do HPM com a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa

img_9145-copia

Nesta terça-feira (20), a Aspomires recebeu a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa para discutir os rumos do Hospital da Polícia Militar. Esta reunião, realizada na sede da associação, contou com a participação do Cel PM Ilton Borges, subcomandante geral da PMES, e do Cel BM Carlos Marcelo D’Isep, comandante geral do Corpo de Bombeiros. A Comissão de Saúde foi representada pelo presidente Doutor Hercules e os deputados estaduais Hudson Leal e Almir Vieira. A Aspomires esteve representada pelo presidente Cap Raimundo e membros do Conselho Diretor.

O objetivo deste encontro era mobilizar debates em prol da reestruturação do HPM. Durante a reunião, foram apontadas algumas diretrizes que podem nortear um novo caminho para o HPM. Entre as sugestões,destacam-se a realização de concurso público para o quadro de médicos do hospital; e o retorno do Fundo de Saúde; entre outros projetos.

Cap Raimundo expressou que a motivação para aquela reunião era a preocupação com o HPM. “O objetivo de trazer a Comissão de Saúde à Aspomires é defender os direitos dos associados e dependentes. A comissão tem força política”, aponta o presidente. De acordo com o Cap Raimundo, sucateado como está, o hospital não tem mais condições de atender às demandas de saúde dos militares estaduais. Além disso, os militares da ativa e da reserva não estão com condições financeiras de bancar um plano de saúde. “Diante deste quadro tão complicado, precisamos de investimentos para que o HPM funcione adequadamente e volte a ser referência em várias especialidades, como antes”, ressalta o presidente.

O diretor adjunto da Diretoria de Ação Social, Sgt Clemilson, aponta que é fundamental discutir a responsabilidade da administração do HPM. E para tal é necessário mobilizar as autoridades governamentais. “Solicito que a Comissão de Saúde intervenha junto ao governador, a fim de encontrarmos um melhor caminho para salvar o hospital, isso precisa ser feito com agendas afetivas”, destaca o diretor adjunto.

Na oportunidade, o presidente da Aspomires entregou à comissão um oficio, encaminhado pela chefe do Banco de Leite do HPM, que solicita a manutenção do contrato de trabalho de uma funcionária especializada. Segundo o documento, esta funcionária representa uma peça fundamental para o andamento deste serviço de referência, que beneficia a toda população capixaba. Os participantes da reunião seguiram para o auditório do HPM, onde foram recebidos pelo diretor do HPM, Cel PM Douglas Caus.

De acordo com o diretor do hospital, Cel PM Douglas Caus, o direito do policial e bombeiro militar ao acesso à saúde é assegurado por lei. “Este direito não é um privilégio, mas sim uma necessidade. Nossa categoria merece ser diferenciada, pois lida, cotidianamente, com mediação de conflitos e com a violência autorizada pelo Estado. E esta prática gera conseqüências físicas e psíquicas”, reflete o diretor do HPM.

Atualmente, segundo o diretor, o HPM cede espaço para o funcionamento do Hospital São Lucas, SVO e do Centro de Captação de Órgãos. “Temos quase 60% do nosso hospital sendo ocupado e operacionalizado para atendimento à população em geral. Os outros 40% são também disponibilizados para o cidadão. No entanto, é importante ressaltar que este hospital foi construído para os militares estaduais exercerem o direito à saúde”, destaca Cel PM Douglas Caus. E complementa: “Precisamos de respostas e propostas para reerguer nosso hospital”.

O deputado estadual Doutor Hercules, presidente da Comissão de Saúde, concorda com a prioridade do debate sobre o HPM. “Já tivemos uma reunião conjunta com a Secretaria de Segurança Pública e a Secretaria de Saúde para discutir sobre o HPM. O hospital está ocioso por falta de investimento em concurso para o quadro de médicos e profissionais”, aponta o deputado estadual. E colocou a Comissão de Saúde à disposição: “Vocês podem acionar a comissão e podemos levar o debate sobre o HPM em audiência pública dentro da Assembleia Legislativa”.